Três edições da Copa Ibérica 7 e um denominador comum em todas elas: Florgrade, a vencedora de todas as Copas até hoje jogadas. E para cumprir essa meta histórica, foi testado como nunca antes tinha sido.
No decorrer da mesma manhã, a equipa de Cortegaça teve de ultrapassar os dois mais directos adversários na corrida pelo título, tendo esse caminho estreito – mas bem sucedido – começado desde logo no primeiro jogo do dia.

Meia-Final: Florgrade vs Balizas Auto-ManaiaCar

Marcava o relógio pouco mais que as 9h30 quando arrancou um sempre electrizante derby de Cortegaça entre Florgrade e Balizas Auto-Manaiacar que a campeã nacional e Ibérica em título venceu com justiça.
Ainda não se tinham passado três minutos de jogo quando a Florgrade se adiantou no marcador, o que desde logo garantiu uma clara vantagem em função de permitir que obtivesse o controlo do ritmo e dos tempos do desafio.
Assim, quase sempre com a bola em seu poder a Florgrade retirou tempo e espaço para que Balizas pudessem reagir com os efeitos que desejavam e ainda ampliou o resultado através de uma bola parada.
Passado um teste exigente perante um Balizas que procurou de forma férrea discutir o resultado, seguiu-se outro candidato, o Bonde Sem Freio.

Meia-Final: Bonde Sem Freio vs Telmo Peluqueros

Favorito à partida, Bonde Sem Freio exibiu uma superioridade natural sobre a única equipa espanhola ainda em prova.
Telmo Peluqueros conseguiu apenas reduzir a vantagem do Bonde, mas apenas por alguns minutos já que na 2a parte a equipa de Lisboa voltou a conferir volume a um resultado que nunca esteve em discussão.

Final: Florgrade vs Bonde Sem Freio

Chegada a final…uma verdadeira discussão de título. Duas equipas bem apetrechadas individual e colectivamente que se estudaram na perfeição e que por esse motivo se encaixaram em termos estratégicos.
A Florgrade procurava sair com bola desde a sua área e conhecedor da abordagem do adversário o Bonde não saía em pressão alta, começando a defender na zona do meio-campo, iniciativa que resultou nos primeiros 10 minutos.
O Bonde entrou melhor e apresentava um ascendente ligeiro até que a Florgrade chegou ao golo, o que obrigou o Bonde a intensificar esforços na procura pelo golo mas sem a eficácia de que necessitava.
Acossado pelo adversário mas sempre defendendo de forma segura, a Florgrade chegou ao segundo golo através de uma saída rápida que o colocou com uma mão na taça ante um Bonde que nunca deixou de acreditar.
Os esforços do Bonde apenas em parte foram recompensados já que conseguiram reduzir para a diferença mínima mas não evitar que a Florgrade levasse de vencida mais uma final. Após duas semanas de intervalo, logo se segue a Final Nacional!